Movendo-se para Web Scale IT

Web-Scale-IT

Até 2017, a Web Scale IT será uma abordagem arquitetônica presente em 50% das empresas em todo o mundo, palavra do Gartner.  Até 2020, 25% dos CIOs globais já a terão adotado.

Mas o que é Web Scale IT? É a forma como data centers e arquiteturas de software são projetados para incorporar conceitos multidimensionais como escalabilidade, compatibilidade, tolerância, controle de versão, etc.

Envolve seis elementos: os data centers, as arquiteturas orientadas a Web, o gerenciamento programável, os processos ágeis, um estilo de colaboração e uma cultura de aprendizagem.

A forma como os grandes fornecedores de cloud, como Amazon, Google e Facebook lidam com esse seis elementos vem “reinventando a forma como os serviços de TI são entregues”, afirma Carl Claunch, vice-presidente e analista distinto do Gartner, presente dias atrás à a Conferência Infraestrutura de TI, Operações e Data Center, promovida pela consultoria em São Paulo.

Para fornecer a velocidade e a agilidade exigida pelas empresas no cenário empresarial atual, os departamentos de TI terão que imitar cada vez mais as arquiteturas, processos e práticas dos principais provedores de nuvem.

A Web Scale IT permitirá às empresas alavancarem economias de escala projetadas para os fornecedores de nuvem, tanto em relação aos preços das soluções quanto aos cutsos de operação.

Vale para todos
Organizações de todos os tamanhos poderão se beneficiar de Web Scale IT. “Seus recursos vão além da escala, em termos de tamanho, e inclui, também, rapidez e agilidade”, diz Carl Claunch.

“A Web Scale IT parece mudar a cadeia de valor da TI de uma forma sistêmica”, continua Claunch. “Os Data Centers são projetados sob uma perspectiva de engenharia industrial que enxerga cada oportunidade de redução de custos e desperdício. Isso vai além de redesenhar as instalações para ser mais eficiente em termos de energia. Inclui também o design interno de componentes chave de hardware, como servidores, armazenamento e redes. As arquiteturas orientadas à Web permitem aos desenvolvedores construírem sistemas muito flexíveis e resistentes, que se recuperam de falhas mais rapidamente”.

“As organizações de TI têm tido, historicamente, um número limitado de fornecedores de hardware para servidores, dispositivos de armazenamento ou equipamentos de redes. Isso começou a mudar quando grandes fornecedores de serviços na Nuvem, devido às suas necessidades extremas por escala e controle de custos, começaram a projetar e montar componentes de infraestrutura”, diz Claunch. Graças à disponibilidade de ferramentas de código aberto poderosas como Hadoop, OpenStack, etc, Big Data e técnicas de nuvem tornaram-se disponíveis para empresas de todos os tamanhos.

Em outras palavras, a mudança para a Web Scale representa uma ruptura radical com as velhas formas de fazer as coisas no mundo da TI e como acontece com todos os movimentos de ruptura, pode ser uma transição assustadora. Web Scale IT exige profissionais de TI capazes de se mover mais rápido do que nunca para implantar e gerenciar grandes infraestruturas, cada vez mais heterogêneas, com hardware commodity, software de fonte aberta, provisionamento home-grown, etc.

Aplicações
Para adotar Web Scale IT direito, as organizações devem passar para o próximo nível de automação de infraestrutura, que compreende os requisitos de aplicações e responder a estes requisitos em tempo real – um ambiente definido por software.

“Arquiteturas orientadas a Web permitem aos desenvolvedores criar sistemas muito flexíveis e resilientes que se recuperam de falha mais rapidamente, explica Claunch.

Mas organizações de TI devem repensar o desenho das aplicações se quiserem cumprir as exigências dos ambientes de Web Scale IT, alerta o Gartner. Tais requisitos incluem, performance escalável, com a adição de recursos necessários à mudança do negócio, permanecendo resistente diante da fragilidade da infraestrutura e operacionalmente eficiente, na medida em que o sistema aumente de tamanho.  Uma arquitetura de aplicações mais resistente permitirá às equipes de operações de TI implantarem e apoiarem processos mais simples e ágeis.

Para isso, arquitetos empresariais e desenvolvedores devem considerar uma ampla gama de abordagens de aplicação e arquitetura que coloquem as empresas no caminho do design para operações.

DevOps
Na verdade, o termo Web Scale IT é, muitas vezes, usado no contexto de DevOps. Não por acaso, a influência do DevOps na cultura, ferramentas, processos e estrutura organizacional de TI está resultando na aceleração da entrega de aplicações e em um ambiente de contínua experimentação.

“O DevOps está fazendo com que as organizações repensem muito da sabedoria convencional das operações de TI”, afirma Carl Claunch. “Historicamente, a TI tem se focado em gerenciar o risco – particularmente para empresas de indústrias reguladas. Porém, as principais bases do DevOps estão permitindo a essas mesmas empresas perceberem que podem ser rápidas e seguras. Abraçar o risco não é tão arriscado quanto parece com uma mentalidade de DevOps.

Ao avaliar, desde o início, como aprimorar a performance e a resistência, a TI poderá repensar seu suporte operacional antecipadamente.

 

Fonte :  CIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *